Trabalhando as Relações de Gênero no Cotidiano Escolar, envolvendo a Etnia e a Diversidade, na Turma de Ensino de Jovens e Adultos (EJA).

Trabalhando as Relações de Gênero no Cotidiano Escolar, envolvendo a Etnia e a Diversidade, na Turma de Ensino de Jovens e Adultos (EJA).

VERONICE DA SILVA GUEDES

 

       Trabalhando as Relações de Gênero no Cotidiano Escolar, envolvendo a Etnia e a Diversidade, na Turma de Ensino de Jovens e Adultos (EJA).

 

Por uma Pedagogia de Gênero

                                                                                      

RESUMO

Esta temática surgiu através dos momentos trabalhados em sala e aula, e no convívio com o alunado, traz e enfatiza o papel de ser docente nas práticas educativas como facilitador de conceitos e valores, abrangentes na sociedade de hoje e nas várias situações relevantes ao conhecimento de mundo, e de trajetória vivenciadas com pensamentos rotulados de arcaicos, mostrando novos ideais como fonte de práticas renovadoras e de conceitos básicos na estrutura pessoal e de mudanças transformadoras. Seja em seu intelecto, interior, exterior e de base conservadora. Respeitando os princípios e mostrando uma realidade que consiste nos padrões de linha que se moderniza ao passar dos tempos.

É preciso entender que se trata de um contexto delicado e de entendimento maduro e de uma realidade baseada na construção e desconstrução de paradigmas a ser trabalhado e realizado com várias situações, que nos permite observações, interações, trocas, socializações e conquistas no ato de entender e aprender, saber inserir o novo no método de interação e convivência.

Palavras- chave:

Gênero. Etnia. Diversidade

 

RESUME

This theme came through the moments worked in class and class and in contact with the student body, and brings emphasizes the role to be teaching in educational practices facilitating comprehensive concepts and values ​​in today's society and the various relevant situations to the attention of the world and of experienced career with archaic thoughts, showing new ideals as a source of renewing practices and basic concepts in personal structure and transformational change. Whether in his intellect, interior, exterior and conservative base. Respecting the principles and showing a reality consisting of line patterns that modernizes the passage of time.

One must understand that it is a delicate context and mature understanding and a reality based on the construction and deconstruction of paradigms being worked and performed with various situations, allowing us observations, interactions, exchanges, socialization and achievements in the act of understanding and learn, learn insert in the new method of interaction and coexistence.

Key words:

Gender. Etnia. Diversidade

 

INTRODUÇÂO

 

“A diversidade vai além das diferenças étnicas, físicas, sensoriais e de gênero, mas compreende as étnicas, religiosas e culturais. As organizações estão aprendendo a respeitar e valorizar esta diversidade  de pensamento, proveniente das diferenças de experiência, conhecimento e origem. ” 
―Luciano Henrique Trindade

 

Este artigo tem por finalidade, desenvolver através de observações prestadas e de acordo com as aulas, uma reflexão importante, com o propósito de mediar e promover debates entre colegas, amigos, e familiares; Oportunizando a interação de idéias e de desconstrução de interesse benéficos a todos os que estiverem abertos, respeitando os demais em suas limitações.

Com objetivo também em transformar a prática educativa quanto educadora e colaboradora neste processo de transformação da educação de Ensino de Jovens e Adultos, envolvendo a etnia e a diversidade, onde será feita uma variedade de atividades, seja ela no âmbito cultural, social, econômico e ou religioso. Com a finalidade de trabalhar as diferenças de forma ampla e profunda nas relações de gênero tanto no ambiente escolar como no ambiente familiar. A Revista Nova Escola, aborda vários textos relacionados a relações de Gênero, e uma delas se inclui nas Práticas de Silenciamento das Vozes da professora Carmen Brunelli de Moura.

          Dando oportunidades aos educandos, ao desenvolvimento da cooperação, criatividade, harmonia, respeito á diversidade social e cultural, socialização, hábitos de boas maneiras, linguagem oral, escrita e conceitos básicos.

          Mostrando com estratégias de atendimento ao estudante, focalizando as potencialidades e transformando-as em habilidades, e incluindo o todo neste processo; Após entender que o mesmo facilitará a ação pedagógica e promoverá uma aprendizagem satisfatória para os mesmos.

            Respeitar ás características pessoais relacionadas ao gênero, etnia, diversidade, peso, estatura, etc. A valorização da cultura de seu grupo de origem e outros grupos, tendo o cuidado para que não sejam reproduzidos, nas relações com os discentes, padrões estereotipados quanto aos papéis do homem e da mulher nas relações, ambiente escolar x familiar. De acordo com o autor: Entende-se por gênero “o conjunto de normas, valores, costumes e práticas através das qual a diferença biológica entre homens e mulheres é culturalmente significada”. (Pinho, 2003, p.54).

  • Desenvolver a linguagem oral e escrita, a criatividade, a atenção e o raciocínio lógico;
  • Permitir aos alunos, com as possibilidades relacionadas tanto ao papel de homem como ao da mulher, trabalhando conceitos básicos de quantidade, tamanho, lateralidade, textura, espessura, contagem oral e escrita, profissões e etc.;
  • Trabalhar com atividades relacionadas às relações de gênero, a contagem oral os hábitos de boas maneiras, higiene do corpo e do ambiente;
  • Ouvir e apreciar obras musicais variadas mostrando novas compreensões de canções antigas e atuais;
  • Produzir trabalhos de artes, desenvolvendo o gosto de dramatizar, representar e construir, respeitando o processo de produção e criação;
  • Conhecer a fauna e a flora explorando a questão de gênero, Ex: Onde a mulher pode presentear um homem com um ramalhete de rosas;
  • Desfazer preconceito; ganhar auto-estimas, e aceitar a diversidade física.
  • Aceitar as diferentes etnias, produzindo texto (negras, índias, brancas e orientais);
  • Perceber que sentir medo é normal em ambos os sexos;
  • Perceber que não procede, a idéia de que há esportes que só podem ser praticados por um dos sexos;
  • Trabalhar a construção e a desconstrução das relações de gênero vivenciadas na prática educativa em anos passados, no ambiente.

Escolar e no ambiente familiar.

  • Práticas de leitura e escrita (estórias que envolva a questão de gênero, etnia e a diversidade);
  • Identidade de gênero;
  • Interação/trabalhando as diversidades;
  • Hábitos, maneira, higiene pessoal e do meio ambiente;
  • Fazer musical e apreciação musical;
  • Fazer artístico e apreciação em artes visuais;
  • Expressividade;
  • Fauna e flora;
  • Desfazendo preconceito;
  • Trabalhando a etnia através da arte;
  • Esporte não tem “sexo”;
  • As funções sociais do homem e da mulher;
  • O medo é um sentimento normal em ambos os sexos.
  • Produções textuais;
  • Músicas ();
  • Conversa informal em círculo;
  • Pintura dirigida, com utilização de tinta guache cola colorido, lápis de cera;
  • Rodas de leituras;
  • Dramatização de forma teatral, Brincadeiras: Caracterizando os personagens (invertendo os papéis sociais entre homem e mulher); “Baixos e altos, gordos e magros;

-“Você tem medo de que?”;

·         Peças teatrais com fantoches;

-“O papel de cada um”;

  • Espaço aberto;

·          “Apelido não tem cola”;

·         “Ninguém é igual a ninguém”.

·         Confecção de mural;

·         Jogos de dominó;

·         Quebra- cabeça;

·         Jogo da memória;

·         Hora da novidade;

·         Jogos de dama.

·         Bingo.

 

Promover uma culminância cultural, com a participação direta de todos, envolvendo-os nas dramatizações, danças e músicas, revelando as suas habilidades. Dramatizando (invertendo os papéis da função social entre homem e mulher). Exposição das atividades desenvolvidas com todos durante o projeto.

            A avaliação será contínua e integrada levando-se em consideração o desempenho de cada aluno, nas diversas atividades.

          Faremos também, uma avaliação do grupo no final do trabalho.

 

REFERÊNCIAS

 

LOURO, Guacira Lopes. Gênero: Questões para a Educação. 34 ed. FCC. São Paulo, 2002.

(Pinho, 2003, p.54).

e adultos. Porto Alegre: Editora Mediação, 2004. DI PIERRO, M.C Um balanço da evolução da educação de jovens e adultos no Brasil. Revista de Educação de Jovens e Adultos: Alfabetização e Cidadania, n. 17, p. 11-23, mai. 2004

REVISTA NOVA ESCOLA: PRÁTICAS DE SILENCIAMENTO DAS VOZES DA PROFESSORA Carmen Brunelli de Moura

AUAD, Daniela. Educar meninas e meninos: relações de gênero na escola. São Paulo: Contexto, 2006. 96 p.

Henrique Luciano Trindade

Frases - http://kdfrases.com